Cozinha Container na Expo Revestir

Em minha primeira colaboração com o blog Minha Casa Container falei sobre uma Cozinha Container na Expo Revestir 2015 e sobre o uso de revestimentos em construções com containers.



A Expo Revestir é um evento que reúne anualmente, na cidade de São Paulo, representantes da indústria de revestimentos, metais e louças sanitárias. Considerada a maior feira do gênero na América Latina, é uma oportunidade de encontro entre produtores e os profissionais de arquitetura, construção e design em busca de novidades do setor.


Utilizada como plataforma de lançamento de novos produtos e das mais recentes tendências do mercado, a feira conta com estandes de empresas nacionais e internacionais trazendo produtos inovadores, seja pelo design e tecnologia embutidos, pelos materiais utilizados em sua fabricação, pela sua aplicação, manutenção e durabilidade.



Na disputa pela atenção dos visitantes fica apenas a dúvida se a autodenominação “A Fashion Week da Arquitetura e Construção” é uma analogia aos revestimentos serem as roupas dos ambientes em que são utilizados ou se é pela quantidade de modelos contratadas desfilando pelos corredores do local tirando a atenção dos incautos visitantes.


Distrações a parte, o que me chamou a atenção foi a aplicação maciça do uso de impressão e modelagem digital nos revestimentos cerâmicos. Tecnologias que possibilitam a criação de produtos em padrões, tamanhos e preços também exclusivos.


Recursos digitais de controle e economia de água para metais sanitários também se destacam ao automatizar a temperatura, o fluxo e tempo de uso de torneiras e chuveiros de design apurado e bom desempenho.


Vi alguns materiais propícios ao uso em containers, como os painéis decorados de madeira para revestimento de paredes internas, que apresentam ótimo acabamento e diversidade de padrões. São fixados a trilhos, que por sua vez são fixados sobre qualquer superfície acabada ou não. Permitem a fácil instalação e manutenção dos sistemas de hidráulica, elétrica, climatização e automatização, assim como o uso de mantas e outros isolantes térmicos e acústicos. E agora tem uma opção de instalação ainda mais prática, através de adesivos em sua face posterior.




Placas cimentícias e de cerâmica, utilizadas em sistemas de fachadas ventiladas, também são uma boa ideia para o revestimento externo de ambientes projetados em containers.

Seu uso proporciona proteção contra as intempéries e proteção térmica ao permitir que o ar flua entre o revestimento e a parede, evitando a transferência de calor para a superfície em que é instalada e amenizando a temperatura interna da edificação.



Quanto aos pisos, os vinílicos são imbatíveis em praticidade de aplicação e manutenção. Apresentam padrões cada vez mais criativos e fiéis no caso de imitações de materiais naturais. E agora contam com tecnologia autolimpante, além de terem evoluído em relação ao desempenho térmico e acústico, e de serem produzidos em parte com material reciclado.



A novidade são os modelos em placas rígidas com sistema de instalação através de encaixes rápidos sem necessidade de cola ou ferramentas específicas. Ainda podem ser instalados diretamente sobre o piso existente, desde que não haja imperfeições acentuadas.




Um dos estandes trazia uma bonita combinação de cobogós (ou elementos vazados) com paredes verdes.


Produtos feitos com materiais alternativos e sustentáveis também estavam presentes na feira, como por exemplo, os revestimentos feitos de Bambu que são duráveis e ecológicos.





Cozinha Container


Visitei a Expo Revestir com a missão de trazer a vocês o projeto de uma cozinha container realizado pelo escritório do arquiteto Vitor Penha, o espaço da Revista Casa e Jardim mostrou aos visitantes um contraponto criativo ante a suntuosidade de alguns estandes e das práticas de marketing questionáveis de algumas das grandes empresas do setor.


Desafiando criticamente a imagem que a própria organização do evento almeja projetar para que seus expositores tenham mais negócios fechados, mesmo que esses ganhos se deem através do estímulo a elitização da arquitetura e da obsolescência programada do design.



Ao construir sua cozinha em um container, Penha põe em prática sua defesa pela reutilização de materiais e pela supressão de acabamentos que mascarem a essência das edificações que projeta. Suas obras apresentam itens garimpados em ferros-velhos, lojas de demolição e antiquários, que através da inventividade do designer ganham novos usos e a valorização de sua função estética.


Nos dois containers de 40 pés (2,90 de altura x 12,19 m de comprimento x 2,44 m de largura cada), o acabamento interno se resume a pastilhas brancas até a altura de 1 m nas paredes e piso vinílico padrão madeira. Externamente, apenas uma parede é revestida com as mesmas pastilhas brancas, desta vez do piso ao teto.



O despojamento no acabamento é reforçado pelos equipamentos e utensílios de aspecto industrial. A coifa, as cubas, bancadas de trabalho e detalhes dos gabinetes são em metal escovado. Assim como os conduítes e spots de iluminação aparentes. Para contrastar com a frieza dos materiais e trazer conforto ao ambiente, móveis clássicos e objetos de decoração retrô compõe a ambientação.


Neste link da Revista Casa e Jardim você pode encontrar mais detalhes e imagens de divulgação oficial do projeto.


Casas modulares


Cozinhas containers tem seu uso consolidado pelo mundo em canteiros de obras, em eventos temporários, locais remotos, entre muitas outras aplicações técnicas. Mas basta uma pesquisada na internet para encontrar alguns exemplos que mostram que a criatividade de designers (profissionais e amadores) está ampliando o seu uso muito além do estabelecido.


Restaurantes, bares e até food trucks feitos com containers mostram a versatilidade deste material até mesmo em cozinhas, ambientes considerados sensíveis em construções por concentrarem diversos sistemas funcionais.


A possibilidade da pré-fabricação e a facilidade com o seu transporte e montagem na obra compõe fatores que levam a crer que a utilização de containers na construção civil acarretará na viabilização de uma arquitetura modular de larga escala.

Como em uma “Cidade Lego“, os edifícios poderiam aumentar ou diminuir de tamanho conforme as demandas de uso. Podendo até migrar para outros locais. Afinal, estamos falando de containers.


Mas essa conversa vai longe, e é assunto para outro texto.


Agradeço a oportunidade de colaborar com a Minha Casa Container. Espero que tenham gostado do texto, assim como gostei de escrevê-lo. Será um prazer responder a dúvidas e comentários. (Veja o artigo original aqui)


Até logo.

#Container #ExpoRevestir

Veja também!
Nenhum tag.
Tags
Arquivo
Postagens Recentes
 São Paulo 11 94339 1271 - Campinas 19 99787 5224
Twitter - Clemente Arquitetura
Facebook - Clemente Arquitetura
Clemente Arquitetura - Construções Sustentáves
Clemente Arquitetura - Construções Sustentáves